OCORRÊNCIA DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA APÓS O PARTO VAGINAL EM MULHERES QUE REALIZARAM FISIOTERAPIA OBSTÉTRICA NO PRÉ-NATAL

Bruna Cristina Maia Vieira, Camila Paula da Silva Demski, Janaína Gomes Maroto, Maria Eduarda Kuhn de Oliveira, Mayara dos Santos Barros

Resumo


Introdução: A incontinência urinária (I.U.) é uma disfunção do assoalho pélvico, definida como a perda involuntária de urina, que é capaz de influenciar de forma negativa na qualidade de vida, de acordo com o comitê da International Continence Society (ICS). A gravidez e o parto vaginal alteram a força da musculatura do assoalho pélvico, devido às modificações funcionais e anatômicas, ao ganho de peso corporal e do peso do útero gravídico, levando ao aumento da pressão sobre esses músculos,
sendo então considerados fatores de risco para I.U. Com isso, a fisioterapia entra como técnica que visa o fortalecimento e treinamento da musculatura do assoalho pélvico, tanto de forma preventiva como de tratamento da I.U. Objetivos: verificar a ocorrência de incontinência urinaria em mulheres no
pós parto vaginal que praticaram a fisioterapia obstétrica durante o pré-natal. Métodos: é um estudo observacional transversal, realizado nas dependências do Centro Universitário de Várzea Grande-UNIVAG, com a participação de 12 mulheres com idade entre 23 e 34 anos. Os acompanhamentos iniciaram entre a 14ª e 18ª semana de gestação, com frequência de atendimento de duas vezes na semana com duração de 1 hora cada, que continuou até o final da gestação. Foi utilizado dois questionários, ICIQ-SF e KHQ, para classificar a interferência da incontinência urinária na qualidade de vida. Resultados: dentre as 12 mulheres que realizaram fisioterapia durante a gestação, apenas 33,3% possuem a incontinência urinária, podendo ser considerado uma prevalência relativamente baixa, já
que apenas 1/3 das participantes evoluíram com a I.U, mostrando que a fisioterapia foi eficaz na prevenção do surgimento da I.U no pós-parto. Conclusão: a realização da fisioterapia obstétrica no pré-natal, que tem como objetivo preparar e treinar os músculos do assoalho pélvico durante a gravidez, além de prepará-los para o parto e reestabelecer a força e função no pós-parto, pode prevenir a I.U no pós parto vaginal dessas mulheres.

 


Palavras-chave


Assoalho pélvico; Parto vaginal; ICIQ-SF.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


*** ISSN  (versão online: 2595-4628 )

*** ISSN (versão impressa: 2318-7018 )