DISFAGIA POR PARALISIA DO HIPOGLOSSO PÓS PROCEDIMENTO DENTÁRIO

Raissa Cabral do Espírito Santo, Sheila Aparecida Da Silva

Resumo


INTRODUÇÃO: A deglutição é uma ação motora automática, dividida em fases. Alguns autores a dividem em 3 fases, oral, faríngea e esofágica, e outros em 4, incluindo a fase preparatória. O principal objetivo da deglutição é transportar o alimento que está na cavidade oral ao estômago de forma eficaz e segura, evitando riscos de broncoaspiração. Para que esse processo aconteça de forma eficiente é necessário uma coordenação precisa de todas as estruturas envolvidas, o alimento que passou por essas fases sem ser aspirado é o resultado da interação complexa entre as estruturas envolvidas. Caso alguns desses diversos músculos e nervos estejam comprometidos afetará também as fases da deglutição e podem desencadear a disfagia. MÉTODO: Trata-se de um estudo observacional descritivo relato de caso, paciente encaminhado para atendimento fonoaudiológico com queixas de
dislalia, dificuldade para se alimentar, possível lesão no nervo hipoglosso após procedimento de extração dentária, alimentação por via alternativa sonda nasoenteral. RESULTADOS: Não foi possível realizar a oferta de alimentos, por conta da hipofuncionalidade da língua, o nervo hipoglosso que foi afetado após procedimento dentário é responsável pelos movimentos de lateralização e propulsão da língua, sem esses movimentos as demais fases da deglutição estarão prejudicadas e o paciente pode broncoaspirar. Paciente foi submetido a terapia miofuncional da musculatura. CONCLUSÃO: Este estudo demonstra a importância do conhecimento anatômico da região orofacial e as alterações de deglutição que uma possível lesão neuromuscular pode acarretar.

Palavras-chaves: Disfagia; Lesão Nervo Hipoglosso; Fonoaudiologia.


Palavras-chave


Disfagia; Lesão Nervo Hipoglosso; Fonoaudiologia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


*** ISSN  (versão online: 2595-4628 )

*** ISSN (versão impressa: 2318-7018 )