COMPORTAMENTO SEXUAL DOS ESTUDANTES DE MEDICINA

Camila de Almeida Bocardi, Daiana Figueiredo Gonçalves, Pollyana Sardinha de Oliveira, Denis Gonçalves Ferreira

Resumo


Resumo

Os adolescentes e jovens constroem sua identidade por meio da integração de sentimentos e desejos, sendo este o período em que a atividade sexual frequentemente tem início.1,2 Esta mudança nem sempre é acompanhada por adequada educação sexual ou por conhecimento da fisiologia ou dos aspetos biológicos da sexualidade e da reprodução. Estudos têm revelado que os adolescentes iniciam sua atividade sexual cada vez mais precocemente, parecendo associar-se à existência de múltiplos parceiros sexuais, elevadas taxas de infecções sexualmente transmissíveis e de perturbações emocionais, maior precocidade do consumo de álcool, tabaco e drogas, produzindo um efeito multiplicador na não utilização de medidas de proteção durante a relação sexual, além disso, também associa-se a maiores taxas de aborto, complicações durante a gravidez e de partos pré-termo.3,4 Estes mesmos estudos tem revelado que as relações sexuais dos adolescentes ao longo de suas vidas foram exclusivamente heterossexuais na maioria dos casos. A sexualidade e o comportamento sexual sofrem influência de diversos aspectos, como um conjunto de fatores sociais, culturais, históricos, aspectos biológicos, bem como as questões de gênero e a orientação sexual. Esta última foi verificada em uma pesquisa entre 2007 e 2008 em estudantes de 15 a 19 anos do segundo ano do ensino médio de escolas públicas estaduais e particulares de 10 capitais brasileiras, foi demonstrado que adolescentes que namoraram ou tiveram relações sexuais homossexuais e bissexuais expõem-se mais a fatores de risco à saúde do que aqueles com comportamento heterossexual. A maior parte dos universitários é constituída por jovens entre 17 e 24 anos, e o ingresso na universidade representa um momento importante em suas vidas. A partir daí sua inserção social se amplia e se iniciam suas experiências no mundo do trabalho, processando sua identidade profissional, que está acoplada ao processo maior de identidade. O aluno recém-ingressado na universidade se depara com situações novas, que suscitam sentimentos de alegria e excitação, além de insegurança e ansiedade. Nesse contexto, muitas vezes se iniciam os comportamentos sexuais e estes podem ser de risco, como a negligência ao uso de métodos contraceptivos e à prevenção contra infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Palavras chave: IST; Sexo; Preservativo.


Palavras-chave


IST; Sexo; Preservativo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


*** ISSN  (versão online: 2595-4628 )

*** ISSN (versão impressa: 2318-7018 )