EXPERIÊNCIA DOS ESTUDANTES DE MEDICINA NO RASTREAMENTO DO CÂNCER DE COLO DO ÚTERO

Autores

  • Ana Flávia Espindola
  • Vitor Manoel de Oliveira Santos
  • Pedro Otávio Grazziotin Barbieri
  • Vykthor Maryanno Gomes Timóteo
  • Roselma Marcele da Silva Alexandre Kawakami

Resumo

Introdução: A integração ensino-serviço-comunidade é importante para promover a saúde da mulher na atenção básica. Sendo que, a inserção dos alunos nos campos de prática do Sistema Único de Saúde, possibilitam aprendizagem significativa, pois possibilita a correlação entre teoria e prática essenciais na formação médica. Segundo a Febrasgo estima-se que no ano de 2016 a incidência de câncer de colo uterino no Brasil foi de 16.340 sendo que a região centro-oeste foi a segunda do país com maior número de casos novos nesse mesmo ano, fator preocupante, pois essa neoplasia é assintomática em suas fases iniciais. Nesse sentido, é essencial o rastreamento do câncer de colo do útero para as mulheres entre 25 a 64 anos, e também orientações sobre os fatores de risco, principalmente o papiloma vírus humano (HPV), para prevenir danos e agravos à saúde. Método: Trata-se de um relato de experiência de quatro estudantes de medicina do Centro Universitário (UNIVAG), da quarta etapa, durante as atividades práticas do componente curricular Programa de Interação Comunitária (PIC), vivenciadas no primeiro dia de práticas, 05 de outubro de 2022 na Unidade de Saúde da Família (USF) Jardim Eldorado em Várzea Grande. Os estudantes utilizaram o conhecimento adquirido nas habilidades técnicas para realização da coleta da citopatologia oncótica (CCO) e exame clínico das mamas durante a consulta ginecológica na atenção básica com foco no rastreamento. Além dessas técnicas, também foi utilizado o conhecimento discutido na teoria do PIC sobre rastreamento do câncer de colo uterino. Foram realizados cinco atendimentos às mulheres. Posteriormente foram discutidos os casos clínicos na USF entre a preceptora e os alunos, destacando as experiências mais relevantes. Descrição: Os estudantes de medicina realizaram cinco atendimentos à saúde da mulher na USF com foco no rastreamento do câncer de colo do útero. Avaliaram o resultado da coleta do citopatológico, após o procedimento e preenchimento na ficha de requisição. Os resultados mostraram um colo do útero ausente por histerectomia decorrente de um cisto, um alterado por lesão e três normais. Não houve alterações nos exames clínicos das mamas e as mulheres não se encontravam na faixa etária para solicitação de mamografia. Todas as pacientes foram orientadas após a realização do procedimento sobre os fatores de risco e data de retorno para buscar o resultado do exame. Em relação a discussão de casos clínicos, foi notório a facilidade dos alunos em conduzir a anamnese. Porém foi destacado como dificuldade dois importantes aspectos, a altura do assento para o examinador realizar o CCO, e por ser a primeira vez da realização do procedimento, localizar o colo do útero foi uma dificuldade para alguns acadêmicos, considerando que nem todas as mulheres apresentam orifício puntiforme, pelo contrário a maioria apresentava fenda transversa. Diferente da dificuldade do laboratório no boneco de borracha, a dificuldade era a inserção no canal vaginal. Essa experiência foi importante para a formação médica, a fim de aproximar o acadêmico da realidade local do rastreio, complementar e compreender o trabalho desenvolvido pela equipe de saúde da família. Por fim, um fator de destaque foi a adesão da paciente no rastreamento, sendo considerada essencial para que o mesmo seja capaz de reduzir novos casos e minimizar a prevalência dos mesmos. Considerações Finais: A experiência de realizar o rastreamento do câncer de colo do útero pelos acadêmicos de medicina foi exitosa, uma vez que possibilitou correlacionar teoria e prática, compreender o trabalho da equipe de saúde da família, treinar habilidades técnicas e favorecer o acesso à atenção à saúde da mulher por meio da integração, ensino-serviço-comunidade. Palavras-chave: Prevenção de doenças; Medicina; Neoplasias do colo do útero.

Downloads

Publicado

2022-11-29

Como Citar

Espindola, A. F., Santos, V. M. de O., Barbieri, P. O. G., Timóteo, V. M. G., & Kawakami, R. M. da S. A. (2022). EXPERIÊNCIA DOS ESTUDANTES DE MEDICINA NO RASTREAMENTO DO CÂNCER DE COLO DO ÚTERO. Anais Da Mostra Científica Do Programa De Interação Comunitária Do Curso De Medicina, 5. Recuperado de https://periodicos.univag.com.br/index.php/picmed/article/view/2125