A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA ALTA DE PACIENTES E A QUALIDADE DE SAÚDE

Autores

  • Cynthia Silva Santos
  • Thais Laet Santos
  • Lalisca Gomes de Almeida
  • Carolina Sampaio de Oliveira
  • Naudia da Silva Dias

Resumo

Introdução: A transição do cuidado é compreendida como o conjunto de ações destinadas a garantir a continuidade das práticas de saúde enquanto o indivíduo perpassa pelos diferentes níveis de atenção. Ela é complexa, principalmente na transição da alta hospitalar para casa, momento em que a autonomia dos pacientes pode estar limitada deixando estes expostos a ocorrência de eventos adversos, já que precisam retornar para sua rotina de vida muitas vezes com uso de dispositivos e ou restrições. Quando se trata de pacientes idosos, neurocríticos ou crianças, entende-se que esse risco é ainda maior¹. Neste contexto, o enfermeiro em uso de suas habilidades e atribuições deve orientar o familiar e/ou cuidador de forma a organizar o planejamento e a implementação do processo de cuidado, assegurando a continuidade do tratamento em domicílio². Objetivos: Descrever a importância da orientação para a alta do paciente e a sua influência na qualidade da saúde. Método: Trata-se de uma revisão narrativa da literatura. A revisão foi realizada no segundo semestre de 2022, para a seleção dos periódicos e critérios de inclusão foram selecionados artigos pertencentes aos períodos de 2012 a 2022; produzidos no Brasil e dispostos na base de dados da Biblioteca Virtual de Saúde Pública (BVS) e Scielo, que possuíssem em seus títulos os descritores desta pesquisa (DESC):Alta hospitalar. Qualidade de Vida. Assistência de Enfermagem. Foram selecionados 19 artigos, após a leitura exploratória da amostra foram exluidos 10 artigos, formando o corpus deste estudo 9 artigos. A estes foi aplicado a leitura analitica, e as convergencias foram direcionadas para a cofecção da categoria discurssiva Orientação, alta hospitalar e qualidade de vida. Resultados e Discussões: Devido à precocidade cada vez maior da alta hospitalar, a orientação do paciente e seu acompanhante torna-se de grande valor para a melhoria do cuidado domiciliar³. As orientações para o cuidado domiciliar garante a continuidade da assistência do paciente após sua hospitalização, pode ser uma saída e deve-se considerar a importância do envolvimento da família em todas as etapas do plano, devendo para isso, ser orientada e compreender o estado de saúde e necessidades do paciente4. O enfermeiro deve avaliar as habilidades e o interesse da família em ajudá-lo, visto que a orientação para alta tem como finalidade tornar o paciente autosuficiente para seu cuidado no domicílio e/ou para ser cuidado pela família5. Considerações Finais: A orientação para a saúde tem como objetivo oferecer ensinamentos que visam à mudança de comportamento e o desenvolvimento da habilidade úteis à promoção, manutenção e à recuperação da saúde. A alta é entendida como um processo complexo e está intimamente associada à noção de cuidado, de adaptação familiar, social e econômica, e para tanto é uma responsabilidade compartilhada pela equipe multiprofissional. O enfermeiro é parte da equipe multiprofissional e é responsável pelo gerenciamento do cuidado. O planejamento da alta hospitalar faz parte do processo de enfermagem, visto que favorece a continuidade da assistência aos pacientes após a sua hospitalização. Palavras-chave: Alta hospitalar; Qualidade de Vida; Assistência de Enfermagem.

Downloads

Publicado

2022-11-29

Como Citar

Santos, C. S., Santos, T. L., Almeida, L. G. de, Oliveira, C. S. de, & Dias, N. da S. (2022). A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA ALTA DE PACIENTES E A QUALIDADE DE SAÚDE. Anais Da Mostra Científica Do Programa De Interação Comunitária Do Curso De Medicina, 5. Recuperado de https://periodicos.univag.com.br/index.php/picmed/article/view/2155