NUTRIÇÃO DO CONHECIMENTO: RELATO DE EXPERIÊNCIA EM PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL EM PRÉ-ESCOLARES

Autores

  • Amanda Simon Puziski
  • Vivian Barcelos de Souza Dutra
  • Gislaine Rodrigues de Campos

Resumo

Introdução: A educação alimentar se consolida como importante estratégia de promoção da saúde, principalmente na avaliação do estado nutricional na infância que apresenta importante papel para um pleno crescimento e desenvolvimento, uma vez que desordens na nutrição podem desencadear comorbidades futuras. Dessa forma o Programa Saúde na Escola promove ações educativas e contribui para um desenvolvimento integral dos estudantes brasileiros, propiciando a participação em programas e projetos que articulem saúde e educação escolar. Descrição Realizar ação educativa e avaliar estado nutricional em pré-escolares e escolares nas idades entre 5 a 10 anos em uma escola municipal de Várzea Grande-MT e apresentar experiência vivenciada com aplicação de atividades para pré-escolares de uma instituição de ensino. Trata-se de um projeto de intervenção no do Programa de Interação Comunitária (PIC) UNIVAG no qual foi desenvolvida por 6 acadêmicos de medicina do 3º semestre, acompanhados de 1 preceptora, na Escola Municipal de Educação Básica Joaquim da Cruz Coelho, Várzea Grande, Mato Grosso, localizada na região de atuação da unidade de saúde no bairro Vila Arthur. Inicialmente os estudantes de medicina juntamente com a preceptora se apresentaram para os colaboradores da escola e em seguida para os alunos que seriam avaliados. Dando continuidade à ação, os acadêmicos seguiram as instruções da preceptora e se dividiram em dois grupos de três componentes, organizando-se em pontos estratégicos do corredor principal da escola, cada grupo continha uma balança digital e uma fita métrica. Desse modo, iniciaram as avaliações dos alunos com realização de pesagem, verificação da altura e cálculo do Índice de Massa Corporal-IMC. De acordo com a idade da criança, foi feita a comparação dentro das curvas de IMC e classificadas como portadoras de obesidade as crianças que apresentaram no gráfico de IMC > percentil 97 e ≤ percentil 99,9; sobrepeso > percentil 85 e ≤ percentil 97; magreza ≥ percentil 0,1 e < percentil 3. Sendo assim, os pré-escolares e escolares que não estavam com peso adequado para a sua respectiva altura e idade receberam um bilhete informativo com orientações relacionadas a uma alimentação adequada e hábitos saldáveis que poderiam ser encaixados na rotina destas crianças. Foram analisadas 50 crianças. Sendo 25 (50%) eutróficas, 9 (18%) sobrepeso, 12 (24%) obesos e 4 (8%) magreza. Sendo assim, foi possível observar que metade das crianças avaliadas possuem distúrbios nutricionais, dos quais a obesidade é prevalente, pode-se ainda analisar que a dieta desequilibrada na comunidade infantil é uma problemática que necessita de atenção, pois a tendência de comorbidades futuras nestas crianças é um risco eminente. Considerações finais: A ação de educação em saúde resulta em novos aprendizados para formação acadêmica, contribuindo no aprimoramento das práticas de profissionais de saúde e possibilitando saúde nas escolas. Desta maneira, a avaliação nutricional feita pelos estudantes de medicina se mostrou benéfica pois contribuiu para reduzir e/ou eliminar quadros de distúrbios nutricionais na infância, com a possibilidade de minimizar os danos futuros que podem ser acarretados por uma alimentação desequilibrada. : Palavras-chave: Alimentação; Estado nutricional; Índice de Massa Corporal infantil; Educação em saúde.

Downloads

Publicado

2022-11-29

Como Citar

Puziski, A. S., Dutra, V. B. de S., & Campos, G. R. de. (2022). NUTRIÇÃO DO CONHECIMENTO: RELATO DE EXPERIÊNCIA EM PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL EM PRÉ-ESCOLARES. Anais Da Mostra Científica Do Programa De Interação Comunitária Do Curso De Medicina, 5. Recuperado de https://periodicos.univag.com.br/index.php/picmed/article/view/2169